Mitos e verdades sobre a saúde bucal das gestantes

Além de todos os cuidados e exames tradicionais conhecidos, as gestantes também devem incluir o dentista em sua rotina de acompanhamentos médicos, pois o estado da saúde bucal da mãe tem influencia na saúde do bebê. Veja o que é mito e o que é verdade sobre a saúde bucal na gestação.

A gestação favorece o surgimento de cáries – VERDADE

Devido as alterações hormonais na gravidez há diminuição do fluxo e da ação protetora da saliva, juntamente com isso, as grávidas passam a comer mais. O somatório desses fatores gera um aumento de acidez bucal que facilita a desmineralização dos dentes e, consequentemente, a formação de cáries.

Os dentes da grávida ficam mais fracos porque ela divide o cálcio do organismo com o bebê – MITO

Nove meses não descalcificam a dentição. O importante é a gestante manter uma dieta balanceada, ingerindo quantidade de cálcio adequadas para ela e a criança.

Grávidas não podem fazer radiografia da boca – MITO

O baixo nível de radiação desses exames na boca normalmente não são prejudiciais. De qualquer modo sempre é bom ter o máximo de cautela, principalmente na região próxima ao feto, utilizando assim um colete protetor durante esse tipo de exame.

O aumento na produção de hormônios favorece a gengivite – VERDADE

Os hormônios da gravidez também promovem a dilatação de vasos sanguíneos, podendo aumentar os riscos de transtornos na região das gengivas, que ficam menos protegidas e com menor capacidade de regeneração. O consumo elevado de alimentos na gravidez, junto com essa situação pode favorecer o surgimento de inflamações como gengivite.

… problemas nas gengivas induzem o nascimento prematuro – VERDADE

Essas inflamações liberam citocinas e prostaglandinas, substâncias que induzem o parto.

Grávidas não podem tomar anestesia – MITO

Hoje existem anestesias especiais para gestantes. Mesmo assim, esses anestésicos são indicados somente para situações emergenciais, por eventualmente ultrapassarem a barreira placentária, causando o descolamento e alterações no feto. Embora não sejam proibidos, melhor evitá-los.

Fonte: Abril Saúde.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.